Autor unice

porunice

DIA MUNDIAL DA SAÚDE – 07 DE ABRIL

Dra. Terezinha Tartuce

 O Dia Mundial da Saúde foi criado pela OMS-Organização Mundial da Saúde para proclamar a visão de mundo no que diz respeito à qualidade de vida dos povos, preservando uma existência saudável e amparada no bem-estar.

Após a Segunda Guerra, em 1948, a Organização referenciada definiu a Saúde Universal “(…) a um sistema de saúde pública que presta assistência médica e proteção financeira a todos os cidadãos de um determinado país sem a inocorrência de qualquer tipo de discriminação.” Completando, saúde significa, em algum momento, somente a pessoa não apresentar certa doença, mas sim um estado de comodidade físico, mental e social, portando abrange um sentido mais amplo e complexo.

As agências reguladoras na maioria dos países percebem que saúde não é um estado fácil de ser alcançado pela população, pois é difícil viver sem preocupações e interagir com o restante da sociedade de maneira harmoniosa.

De acordo com a legislação brasileira, a Lei nº 8.080/1990, a saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. A Lei ressalta fatores determinantes para que haja saúde à sociedade, a saber: alimentação, moradia, saneamento básico, meio ambiente, renda, educação, atividade física, transporte, lazer, acesso aos bens de serviços essenciais entre outros.

Todavia, é muito importante considerar para que haja atenção à qualidade de vida do cidadão o tratamento de doenças ou de sua prevenção, premissa esta de total relevância, pois todas as condições necessárias à sobrevivência das pessoas não são significativas se não se está saudável.

Na atualidade, o mundo está voltado quase que exclusivamente à pandemia da Covid-19, cujo vírus corona tem ceifado milhares de pessoas. Cientistas se dedicam à pesquisa da melhor vacina para proteger a população, muito embora, também, as políticas públicas se envolvem nesta calamidade, às vezes de maneira positiva e humanitária e em outras não, infelizmente exploratória.

No Brasil, proliferação de inúmeras doenças que aumentam a cada dia só demostra o descaso que a própria população tem com a sua saúde e de seu próximo, bem como a corrupção nos meios políticos. A maciça divulgação pela mídia em relação ao vírus corona faz com que outras doenças, também endêmicas sejam esquecidas em relação ao alerta preventivo e sanitário, como a Dengue, a Febre Amarela, a Zika, a Chikungunya, a AIDS (SIDA), as Hepatites Virais entre outras.

Nesta linha de raciocínio, em 2017, por exemplo, a OMS focou sua campanha da Depressão, uma doença que pode atingir qualquer um, a qualquer idade e em qualquer lugar do mundo desenvolvendo a causa de sérios problemas, podendo, inclusive, levar à morte. A globalização, coloca em pauta exigências drásticas que estão sendo tomadas pelos governos, porém a educação do povo, infelizmente, é muito insuficiente, contudo, sem entender e aprender as medidas sanitárias é impossível exigir devolutiva da população, principalmente a mais desinformada.

Diante desta realidade, na comemoração do Dia Mundial da Saúde, a UNICE-Ensino Superior tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação da saúde para ter uma melhor qualidade de vida e, conscientizar e alertar sobre os principais problemas referentes a uma vida saudável que possa atingir a população mundial.

porunice

COMBATE AO BULLYING E VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS

7 DE ABRIL DIA NACIONAL DE COMBATE AO BULLYING E VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS

 Dra. Terezinha Tartuce

 Uma das características da personalidade do homem, além da bondade, também se encontra a violência. Desde tempos remotos seres humanos se sobrepõe aos oprimidos, embora o relativismo cultural defenda que o bem e o mal, o certo e o errado, entre outras categorias de valores, são relativos a cada cultura.

A violência nas escolas e o bullying1  são temas antigos, mas continua atual e cada vez mais vitimizando crianças e adolescentes. Nos dias de hoje a Internet, as redes sociais, o próprio convívio entre as pessoas entre outros, não poupam a crueldade dos agressores (individuais ou em grupos) às vítimas em todas as classes sociais, mascarando a violência em forma de brincadeiras que podem adquirir uma vasta dimensão preocupante em todos os níveis de escolaridade, desde na Educação Infantil até nas séries mais avançadas do Sistema Educacional.

Importante se faz salientar que, o bullying e a violência nas escolas ao serem praticadas de forma física, verbal ou psicológica podem acarretar sérias consequências no aprendizado do educando gerando queda da autoestima, abandono escolar, sendo que em casos mais sérios o suicídio e outras tragédias. Observa-se que a violência e a intimidação mesmo em pequenas proporções ou em vias de fato, traz no seu âmago estreita relação com as categorias de gênero, classe social, raça/etnia, como também relações de poder, situações estas que não deixam de ser motivo de investigação da escola e da família.

O bullying, por exemplo, principalmente nas escolas, acontece no cotidiano dos estudantes como fato repetitivo, cruel e por vezes naturalizados. Essa agressividade atinge os direitos individuais da vítima, embora o agressor seja identificado, em certas situações, não sofre penalidades relevantes quer da instituição de ensino, da família ou da sociedade.

Apesar de algum progresso na verificação das ocorrências, a violência nas escolas, na atualidade, continua sendo uma questão que atinge não só no Brasil, mas também internacionalmente. Um número crescente de bullying, geralmente,  não é levado à uma investigação profunda, quer pela escola ou relapso das famílias tanto do agressor como das vítimas que são tratados de forma banalizada, sem importância, não dando ouvidos aos sinais da pessoa agredida, pois a perversidade nem sempre é física e, por vezes, mental.

Mais do que o corpo a desumanidade atinge a alma, destrói sonhos, acaba com a dignidade do sujeito limitando o seu pleno desempenho humano, afetando o desenvolvimento da criança e do adolescente como cidadão estável.

A Legislação Brasileira em relação àqueles que desrespeitam os princípios constituintes, inclui que a prática de bullying configura ato ilícito e o Código Civil, considera que todo o ato ilícito que cause dano a outrem gere o dever de indenização à vítima pelos responsáveis por situações de bullying que ocorram em seu contexto.

Consequentemente, em síntese, a escola precisa ser parceira da família e acolher aqueles que passaram por situações de bullying sendo criança, adolescente e mesmo professores que foram humilhados ou violentados. Incentivar o respeito às diferenças e observar a índole dos agressores.

Quem comete bullying por vezes não tem a consciência de quanto os seus atos podem ser prejudiciais. Por isso, não basta apenas punir o agressor, é preciso também fazê-lo ver os outros como pessoas, dignas do mesmo respeito e compaixão.”

 

_______________________

1 Bullying: palavra de origem inglesa que na prática se refere a gestos e atitudes que intimidam e agridem pessoas tanto verbal quanto fisicamente.

 

 

 

 

porunice

SEMANA SANTA

“Jesus disse: Eu sou a ressurreição e a vida, quem crê em mim ainda que esteja morto, viverá.”
Celebremos a Semana Santa com paz, amor e gratidão quando dizemos “Cristo vive”.
A UNICE deseja a todos
FELIZ PÁSCOA!!!

porunice

21 de março: Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

Dra. Terezinha Tartuce

A UNICE – Ensino Superior destaca na comunidade acadêmica o Dia Internacional Contra a Discriminação Racional.

Discriminação Racial significa qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional com a finalidade ou o efeito de impedir ou dificultar o reconhecimento e/ou exercício, em bases de igualdade, aos direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural ou qualquer outra área da vida pública. (Convenção Internacional para a Eliminação de todas as Normas de Discriminação Racial da ONU Art. 1.)

A Organização das Nações Unidas – ONU – instituiu o dia 21 de março como o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial em memória do Massacre de Shaperville. Em 21 de março de 1960, 20.000 negros protestavam contra a lei do passe, que os obrigava a portar cartões de identificação, especificando os locais por onde eles podiam circular. Isso aconteceu na cidade de Joanesburgo, na África do Sul. Mesmo sendo uma manifestação pacífica, o exército atirou sobre a multidão e o saldo da violência foram 69 mortos e 186 feridos.

O dia 21 de março marca ainda outras conquistas da população negra no mundo: a independência da Etiópia, em 1975, e da Namíbia, em 1990, ambos os países africanos.

Vale destacar três personalidades (dentre outras) que dedicaram suas vidas à luta pelos direitos civis e pelo fim da discriminação racial:

 Martin Luther King – Malcolm X ou El-Hajj Malik El-Shabazz – Nelson Mandela

Atento às estatísticas que sempre apresentam uma realidade desfavorável para negros na colocação no mercado de trabalho, o governo federal vem desenvolvendo um trabalho de conscientização da população para o problema da discriminação racial no emprego e na profissão. Uma das ações foi a criação do Programa de Combate à Discriminação no Trabalho e na Profissão, desenvolvido pelo Ministério do Trabalho em 1995. No ano seguinte, contou com a parceria da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, do Ministério da Justiça.

Fonte: Disponível em: http:// www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/marco/dia-internacional-da-discriminacao.php acessado em: 05/mar/2013.

porunice

DIA INTERNACIONAL DA MULHER – 8 DE MARÇO

A UNICE – Ensino Superior, congratula todas as mulheres pela sua índole delicada, forte, guerreira, pacificadora, sonhadora, idealista …

Mulheres, obrigado por existirem em todos os momentos de nossas vidas!

 

porunice

NOTA DE PESAR

A UNICE-Ensino Superior lamenta, sinceramente, o falecimento do egresso PEDRO HALAN, (08/03) nosso inesquecível aluno de Graduação e Pós-Graduação. Apresentamos os sinceros sentimentos e condolências à família e amigos.

Pedro, no auge da sua carreira de radialista atuava nas rádios Jovem Pan de Fortaleza e Cidade AM, onde também deixa saudade.

Força para todos nós, que sempre seja lembrado: quem é amado e recordado nunca morre realmente, apenas parte mais cedo.

porunice

COMUNICADO – ATENDIMENTO

 

De acordo com o atual Decreto no. 33.939 o atendimento na UNICE está sendo realizado das 8:00 às 19:00 horas, obedecendo as normas de segurança sanitária.

As aulas remotas, laboratoriais e estágios continuam conforme com o Decreto Governamental.

porunice

COMUNICADO.

A Associação de Ensino Superior de Fortaleza (AESF) vem, por meio deste comunicado, informar novamente a seu corpo discente dos cursos de graduação e de pós-graduação, que não existe obrigatoriedade, pelo aluno, de submeter os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) ao crivo de profissional corretor gramatical-ortográfico e de estilo técnico científico desvinculado da Instituição de Ensino Superior.

Tal comunicado integra uma decisão no âmbito do processo nº 0011926-29.2012.4.05.8100 perante a 1ª Vara Federal no Ceará. Dessa forma, de modo a cumprir na integralidade a decisão, transcreve-se abaixo o dispositivo da sentença, em sua literalidade:

“Em razão do expedido, JULGO PARCIALMENTE PROCEDENTES os pedidos, para determinar que a ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE FORTALEZA – AESF mantenedora FCHFOR – FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE FORTALEZA, abstenha-se de exigir de seus discentes a revisão gramatical e de estilo técnico-científico por profissional, contratado desvinculadamente à Instituição de Ensino, nos Trabalhos de Conclusão de Curso – TCCs de graduação e pós-graduação, tornando sem efeito quaisquer cláusulas constantes dos contratos já celebrados que imponham referidas condições para obtenção dos precitados serviços escolares e assegurando, ainda, a divulgação do dispositivo desta sentença na página de abertura do site da demandada na internet pelo prazo de 60 (sessenta) dias.

Atendidos os requisitos legais, CONCEDO A ANTECIPAÇÃO DOS EFEITOS DA TUTELA, para que a promovida ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE FORTALEZA – AESF mantenedora FCHFOR – FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE FORTALEZA, dê imediato cumprimento à obrigação de não fazer, no sentido de se abster de exigir de seus discentes a revisão gramatical e de estilo técnico-científico pro profissional, contratado desvinculadamente à Instituição de Ensino, nos Trabalhos de Conclusão de Curso -TCCs de graduação e pós-graduação, bem como dê publicidade do dispositivo da presente sentença na página de abertura do seu site na internet pelo prazo de 60 (sessenta) dias. Cumpra-se. Expedientes necessários e URGENTES.

porunice

A PÁSCOA CRISTÃ

Dra. Terezinha Tartuce

A origem da celebração da Páscoa está na história judaica relatada na Bíblia, no livro chamado “Êxodo”. Êxodo significa saída,  é exatamente a saída dos judeus do Egito que esse livro relata.

Quando Ramsés II, rei do Egito, subiu ao trono apavorou-se com o crescimento do povo de Israel, acreditando que esse crescimento colocava em risco o seu poder. Essa preocupação, deu início a uma série de ordens e obras que levaram os judeus a um período de grande sofrimento.

Conta a Bíblia que Deus, vendo o que se passava com seu povo, escolheu Moisés para tirá-los dessa situação, dando a ele os poderes necessários para o cumprimento da missão. Na semana em que o povo de Israel iniciou sua jornada para sair do Egito, Deus ordenou que comessem só pão sem fermento e no último dia, quando finalmente estariam fora do Egito seria comemorada a primeira Páscoa, sendo esse procedimento celebrado de geração em geração.

Essa celebração recebeu o nome de Pessach, que em judaico significa passagem, nesse caso da escravidão à liberdade. Daí surgiu a palavra Páscoa.

Para o Cristianismo, Jesus Cristo na sua ressurreição  deu novo significado à Páscoa. Ele trouxe a boa-nova, a esperança de uma vida melhor. A morte de Jesus Cristo representa o fim dos tormentos. A sua ressurreição simboliza o início de uma vida nova, iluminada e regrada pelos preceitos de Deus.

O domingo de Páscoa marca a passagem da morte para a vida, das trevas para a luz. Representa uma oportunidade de fazermos uma retrospectiva em nossa vida e estabelecermos um ponto de recomeço, de sermos melhores, de sairmos do “Egito”.

A Páscoa é comemorada no domingo seguinte à primeira lua cheia da primavera (no hemisfério norte), ou seja, depois de 21 de março, e no hemisfério sul no inicio do outono. Por isso, a celebração ocorre sempre entre 22 de março e 24 de abril. A partir dessa data, é que fica estabelecido o período de 46 dias, conhecido como Quaresma, que vai da Quarta-Feira de Cinzas até o Domingo de Páscoa.

A celebração da Páscoa dura cerca de 50 dias. Tem início no Domingo da Ressurreição e se estende até o fim de Pentecostes, quando se relembra a descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos, sob a forma de línguas de fogo.

Ou seja, a Páscoa é um período para agradecermos a Jesus pelo seu sacrifício, para pensarmos em todos os nossos atos e renovar os votos perante a Deus para sermos cada vez melhores e dignos. Jesus se sacrificou para nos libertar e nos dar a vida.

Nos dias atuais, quando o mundo se encontra em retiro social em virtude do COVID-19, devemos refletir sobre os fundamentos da fé cristã renovando votos de amor e de fé.

Importante que as reuniões para as comemorações no Domingo de Páscoa sejam realizadas em pensamento, em orações, em recolhimento em suas casas, lembrando que o nosso testemunho no mundo seja a favor da justiça, da paz e da solidariedade: rumo à Páscoa definitiva, quando ressuscitaremos no “novo Céu e na nova Terra” (Ap 21,1).

  

A UNICE DESEJA FELIZ PÁSCOA!