porMarketing Unice

COMUNICADO

Prezados alunos

Segue abaixo os links de pesquisa do MEC, sobre as substituições de aulas presenciais em tempos de Covid-19. Os  links são referentes aos discentes.
Nosso prazo é até 10/08/2020.
Contamos com a colaboração de todos para alcançarmos o maior número de respostas possíveis e, assim, viabilizar o aperfeiçoamento da regulação e supervisão neste momento de pandemia e na retomada das atividades, quando vierem a acontecer.

Abaixo os links da chamada no site do MEC e os da pesquisa de alunos.

https://www.gov.br/mec/pt-br/assuntos/noticias/mec-quer-ouvir-alunos-e-professores-do-ensino-superior-sobre-as-substituicoes-de-aulas-presenciais-em-tempos-de-covid-19

https://isurvey.cgee.org.br/mec/portaria343aluno/

 

porMarketing Unice

COMUNICADO IMPORTANTE

Prezados alunos
 
Comunicamos que, os acertos de disciplina 2020.2 após conferência dos Coordenadores de Curso são, imprescindíveis, de serem entregues no NAP – Núcleo de Atendimento Pedagógico, no formulário padrão para inserção no Sistema Acadêmico.
porMarketing Unice

COMUNICADO “FERIADO DIA DO ESTUDANTE”

A comemoração do Dia do Estudante em 11/agosto, está sendo antecipada´para segunda-feira 10/agosto. Portanto, as aulas online serão disponibilizadas normalmente a partir de terça-feira (11/08).
porMarketing Unice

NOTA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

A SOPAI-Sociedade de Assistência e Proteção à Infância de Fortaleza recebeu, nesta sexta-feira (10/7/20), a Equipe de Responsabilidade Social da UNICE para a entrega das doações de fraldas, contribuição realizada pelos alunos de todos os cursos.

Com muita alegria agradecemos este ato de solidariedade dos discentes na compreensão da importância da SOPAI em atenção às crianças carentes atendidas na região da Barra do Ceará, como também nas regiões e municípios adjacentes à zona metropolitana de Fortaleza.

Congratulamos todos os participantes deste evento e que, de acordo com a história da UNICE, a Responsabilidade Social é característica segura da Instituição.
Obrigado a todos !!!!!!

porMarketing Unice

EDITAL DE PUBLICAÇÃO DA REVISTA VISÃO ACADÊMICA Nº 3

A UNICE-Ensino Superior, torna público para a comunidade acadêmica o presente Edital e convida para a submissão de artigos de natureza científica e técnico- científica para a publicação na sua Revista Visão Acadêmica. Registrada em 2011sob o ISSN (International Standard Serial Number) no 2236-455. O periódico tem como missão divulgar estudos e pesquisas de elevado padrão

acadêmico em diversas áreas do saber. Dirigida a um público formado por docentes, pós-graduados, graduandos e profissionais que fazem uso de conhecimentos e técnicas para publicação de trabalhos de pesquisa, contendo uma abordagem completa de um tema ou de um assunto relevante, tornando a Revista uma contribuição efetiva na cultura e apreensão científica.

Todas as formas de artigo são publicadas em periódicos especializados ou não. O artigo visa publicar os resultados de um estudo, de uma investigação atendendo às normas científicas.

1. AVALIAÇÃO

O ISSN é o indicador aceito, internacionalmente, para individualizar o título de uma publicação seriada, tornando-o único e definitivo. Esse procedimento é realizado junto ao IBICT – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, órgão ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações-MCTIC Podem ser encaminhados para avaliação artigos à Revista Visão Acadêmica de colaboradores do Brasil e exterior desde que inéditos, não estando sob processo de avaliação para publicação em outro veículo. Está permitido, depois da publicação no periódico da UNICE-Ensino Superior, o encaminhamento a outros periódicos
científicos ou afins.

Os artigos serão submetidos à apreciação do Conselho Editorial que dará parecer ACEITO PARA PUBLICAÇÃO ou NÃO ACEITO PARA PUBLICAÇÃO, que poderá sugerir alterações aos autores. Feitas as alterações, o artigo poderá ser novamente avaliado pelo Conselho da Instituição. Recebendo o parecer ACEITO PARA PUBLICAÇÃO, será emitida correspondência ao autor ou autores informando sobre a previsão de publicação. Os editores reservam-se o direito de antecipar ou postergar a publicação dos artigos de acordo com o interesse editorial ou volume de artigos. São estabelecidas datas limites para os artigos serem publicados.

Será feita uma análise inicial dos trabalhos pela Comissão de Avaliação Revisão do periódico, onde serão considerados aspectos como: escopo do artigo, formatação, apresentação segundo as normas da revista, adequação das citações à referência bibliográfica, qualidade das tabelas e figuras, coerência metodológica, significância
dos resultados obtidos, consistência na conclusão, entre outros aspectos qualitativos do artigo.

Após a aplicação dos critérios da Revista, se o número de trabalhos aprovados ultrapassarem a capacidade semestral de publicação, será aplicado pelo Conselho Editorial o critério da relevância relativa, pelo qual serão aprovados os trabalhos com contribuição mais significativa.
Os artigos são avaliados por consultores ad hoc de conhecida competência nos temas abordados, diversificados regional e institucionalmente, com parecer final da editoria científica da Revista Visão Acadêmica.

2. DIRETRIZES PARA ARTIGO CIENTÍFICO ORIGINAL OU DE REVISÃO

  •  Será utilizado como diretriz a Associação Brasileira de Normas Técnicas -ABNT. Os artigos deverão conter entre 10 a 20 páginas. Os textos devem ser editados no Microsoft Word, formato A4, fonte Arial tamanho 12. As folhas devem apresentar margem esquerda e superior com 3 cm e direita e inferior com 2 cm. Para citação direta Arial 11 e para notas de rodapé, Arial 10. Todo texto deve ser digitado com espaçamento 1,5 e presentado na forma justificada.
  •  Os títulos de cada subseção devem aparecer na margem esquerda, separados do texto que os precede e que os sucede por dois espaços simples.
  • Todas as páginas do artigo devem ser numeradas, em algarismos arábicos, no canto superior direito da folha, com exceção da página onde se encontra o título. As seções devem ser grafadas em negrito (Arial 12, Maiúsculas), como também as subseções (Arial 12, maiúsculas e minúsculas), se houver.
  •  O número de autores por artigo não poderá exceder o total de três pessoas. Caso mais tenham participado da construção do artigo, recomenda-se mencionar em nota de rodapé o grau da colaboração de cada participante da pesquisa, como por exemplo, estagiários, auxiliares e outros.

3. TÍTULO NA LÍNGUA PORTUGUESA.

  • Deve ser breve (máximo 15 palavras incluindo os artigos, as preposições e as conjunções), específico e descritivo, contendo palavras representativas do seu conteúdo.
  • Grafado em letras maiúsculas, centralizado e apresentado em negrito (Arial 14).
  •  Não deve conter nome científico, exceto de espécies pouco conhecidas; neste caso, apresentar somente o nome binário.
  •  Não deve conter subtítulo, abreviações, fórmulas e símbolos.

4. IDENTIFICAÇÃO DO (S) AUTOR (ES)

  • Arial 11 com alinhamento à direita.
  • Nome do (s) autor (es) em negrito.
  • Breve currículo: titulação ou titulações com respectivas instituições ou profissão: sem negrito.

5. RESUMO

Resumo é a apresentação concisa do texto, destacando seus aspectos de maior relevância, onde se expõe o objetivo do artigo, a metodologia utilizada para solucionar o problema.

  • O termo Resumo deve ser grafado em letras maiúsculas, negrito, fonte Arial 12.
  • Segundo Norma NBR 6028:2002 da ABNT, este item deve conter entre 100 a 250 palavras, incluindo números, preposições, conjunções e artigos.
  •  Redigido na voz passiva (impessoal) e em parágrafo único.
  •  Não deve conter citações bibliográficas nem abreviaturas.
  • Abstract
    – Tradução para o inglês do texto contido no Resumo.
  • Descritores: termos para indexação (Palavras-Chave)
    – A expressão Palavras-Chave deve ser seguida de dois pontos (:), deve ser grafada em letras minúsculas, exceto as letras iniciais.
    – Constar logo abaixo do Resumo.
    – Devem conter no mínimo três e no máximo seis palavras-chave, separadas por ponto e vírgula e iniciadas com letra maiúscula.
    – Não devem conter palavras que apareceram no título.

6. INTRODUÇÃO

  • O termo Introdução deve ser grafado em letras maiúsculas, negrito, fonte Arial 12. Separado das palavras-chave com 2 espaços simples.
  • A Introdução expõe o tema do artigo, relaciona-se com a literatura consultada. Situa o leitor no contexto do tema pesquisado, oferecendo uma visão global do estudo realizado, esclarecendo as delimitações estabelecidas na abordagem do assunto.
  • Apresenta o ponto de vista em que é tratado os objetivos (para que se destina o estudo) e as justificativas que levaram o autor a tal investigação para, em seguida, apontar a problemática da pesquisa (o que) para a qual se buscará respostas. Pode-se, ainda, destacar os métodos utilizados na pesquisa
    estudo (como).
  • Estabelece o assunto, definindo-o sucinta e claramente, sem deixar dúvida quanto ao campo e período abrangidos e incluindo informações sobre a natureza e a importância do problema.
  •  Na Introdução não são mencionados os resultados alcançados, o que acarretaria desinteresse pela leitura integral do texto.
  • Redigir na voz passiva (impessoal) e não deve conter citações bibliográficas, pois é a palavra do autor pra o leitor.

7. MATERIAL E MÉTODOS

– o artigo pode ser:

  • Original: quando apresenta temas ou abordagens próprias.
  •  De Revisão: quando resume, analisa e discute informações já publicadas (secundárias). Pode ser denominado de versão preliminar que é o artigo apresentado como abordagem inicial ou parcial de determinado assunto,  dependendo da disponibilidade de dados apresentados pela fonte de pesquisa como, por exemplo, dados de propriedade industrial ou da segurança nacional. Todas as formas de artigo são publicadas em periódicos especializados ou não. O artigo visa publicar os resultados de um estudo, de uma investigação atendendo às normas científicas.
  •  Artigo científico
    Tem formato reduzido entre 10 a 20 laudas é sempre um trabalho completo, um texto integral, geralmente utilizado em publicações especializadas.
  • Artigo-relatório
    – Tem a mesma finalidade e características do artigo científico, apenas com enfoque de publicar resultados de pesquisas de campo, de meio, ou de laboratório. Normalmente é composto por dados e levantamentos estatísticos, apresentados em gráficos, figuras, tabelas e outros.
    – Descreve completamente os procedimentos metodológicos que permitem viabilizar o alcance dos objetivos. Devem ser apresentados: dados sobre o local onde foi realizada a pesquisa, população estudada, tipo de amostra, variáveis selecionadas, material e equipamentos, técnicas e métodos adotados para a coleta de dados entre outras informações importantes que explicitam o trajeto desenvolvido pelo pesquisador na pesquisa.

8. DESENVOLVIMENTO OU CORPO

Como parte principal e mais extensa do trabalho, visa a expor o assunto e demonstrar as principais ideias. É, em essência, a fundamentação lógica do trabalho.
Não existe padrão único para a estrutura e desenvolvimento do trabalho, depende essencialmente da natureza do estudo (experimental, não-experimental, de campo, de revisão bibliográfica e outros), da lógica e do bom senso do autor. Recomenda-se não subdividir o artigo em muitos tópicos, a divisão deve obedecer a uma ordem
lógica; cada parte pode formar um todo e ter um título apropriado.

  • Ressalta-se que as palavras desenvolvimento ou corpo não sejam usados
    como título ou títulos de partes do trabalho.
  • Nesta parte do artigo, o autor deve fazer uma exposição e uma discussão das teorias que foram utilizadas para entender e esclarecer o problema, apresentando-as e relacionando-as com a dúvida investigada. Apresentar as
    demonstrações dos argumentos teóricos ou de resultados que as sustentam com base dos dados coletados
  • Neste aspecto, ao constar uma Revisão de Literatura, o objetivo é de desenvolver a respeito das contribuições teóricas a respeito do assunto abordado.
  •  O corpo do artigo pode ser dividido em itens necessários que possam desenvolver a pesquisa. É importante expor os argumentos de forma explicativa ou demonstrativa, por meio de proposições desenvolvidas na
    pesquisa, onde o autor demonstra, assim, ter conhecimento da literatura básica, do assunto, onde é necessário analisar as informações publicadas sobre o tema até o momento da redação final do trabalho.

9. RESULTADOS E DISCUSSÃO

  •  O autor redige demonstrando teoricamente o objeto de seu estudo e a necessidade ou oportunidade da pesquisa que realizou. Quando o artigo inclui a pesquisa descritiva apresentam-se os resultados desenvolvidos na coleta dos dados por intermédio das entrevistas, observações, questionários, entre outras técnicas.
  •  Figuras, fotografias, gráficos e ilustrações devem ser encaminhados anexos no final do texto (uma folha para cada item) e ter uma numeração independente e sequencial. Ex.: Figura 1, Figura 2, Gráfico 1, Tabela 1.
  • As fotografias devem ser enviadas em tamanho 10 x15 cm ou slides.

10. CONCLUSÃO

Após a análise e discussões dos resultados, são apresentadas as conclusões e as descobertas do texto, evidenciando com clareza e objetividade as deduções extraídas dos resultados obtidos ou apontadas ao longo da discussão do assunto.

Neste momento são relacionadas as diversas ideias desenvolvidas ao longo do trabalho, num processo de síntese dos principais resultados, com os comentários do autor e as contribuições trazidas pela pesquisa.

  • Cabe, ainda, lembrar que a Conclusão é um fechamento do trabalho estudado, respondendo às hipóteses enunciadas e aos objetivos do estudo, apresentados na Introdução, onde não se permite que nesta seção sejam
    incluídos dados novos, que já não tenham sido apresentados anteriormente. Importante não apresentar citações bibliográficas na Conclusão.
  • Considera-se, então, que a Conclusão é a recapitulação sintética dos resultados e da discussão do artigo. Pode apresentar deduções lógicas e correspondentes aos objetivos propostos, ressaltando o alcance e as
    consequências de suas contribuições, bem como seu possível mérito. Pode conter a indicação de problemas dignos de novos estudos, além de recomendações, quando for o caso. Deve ser breve e basear-se em dados
    comprovados

11. CITAÇÕES

  • As citações devem ser normalizadas de acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT (NBR 10.520/2002). Devem ser, no artigo, muito relevantes e se necessário de reforço, pois o artigo é inédito.
    Devem ser evitadas citações referentes a assuntos amplamente divulgados, rotineiros ou de domínio público, bem como aqueles provenientes de publicações de natureza didática, que reproduzem de forma resumida os documentos originais, tais como apostilas e anotações de aula.
    As fontes das quais foram extraídas as citações são indicadas no texto pelo sistema numérico, também denominado citação nota.
  •  Citação direta ou literal: transcrição textual de parte da obra do autor.
    – Citação com até 3 linhas – é transcrita entre aspas, itálico, com letra na fonte do texto.
    Citação longa com mais de três linhas: quando a citação ultrapassar a 3 linhas deve ser destacada do texto e registrada em espaço entrelinha simples e com fonte menor que a do texto (Arial 11), redonda.
  •  Indireta, Paráfrase ou Livre: é aquela em que se reproduzem as ideias ou informações de um documento ou fonte sem transcrever as próprias palavras do autor ou autores. Uma vez que a citação sobre o texto é em suas próprias palavras, não se colocam aspas, mas o autor da ideia tem que ser referenciado.

12. NOTA DE RODAPÉ

  • A nota de rodapé aparece ao pé da página em que acontece a citação.
  • A NBR 6023 de 2002 estabelece que, quando o sistema numérico em que as referências vão aparecendo, elas são enumeradas à medida que surgem e ganham a forma de notas de rodapé. Servem para abordar, do mesmo modo, pontos que não devem ser incluídos no texto para não o sobrecarregar.

13. REFERÊNCIAS

  • É o conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que permite sua identificação individual no artigo e prestigia o autor ou fonte original. As Referências constituem uma lista ordenada dos documentos citados no artigo, pelo autor do texto.
    As publicações devem ter sido mencionadas no texto do trabalho e devem obedecer às Normas da ABNT 6023:2000.
  • Não se devem confundir referências com bibliografia, que é a relação alfabética, cronológica ou sistemática de documentos sobre determinado assunto ou sobre determinado autor.
  •  Bibliografia: trata-se de uma listagem dos livros, artigos, revistas científicas e outros elementos de autores efetivamente utilizados e referenciados ao longo do artigo. São constituídas em uma lista única no final do artigo, em ordem alfabética por sobrenome do autor; devem ser completas e elaboradas de
    acordo com a ABNT.
  •  Fontes: quando as referências não são bibliográficas, mas sim revistas não científicas, jornais, mapas, sites da Internet, documentos eletrônicos e outros.
  • Fontes Online: são as obras consultadas online, é necessário indicar o autor, a obra, o endereço eletrônico e a data de acesso. Todos os endereços de páginas na Internet, incluídas no texto, devem estar ativos e prontos para clicar.

14. ILUSTRAÇÕES E TABELAS

As ilustrações compreendem quadros, gráficos, desenhos, mapas e fotografias, lâminas, quadros, plantas, retratos, organogramas, fluxogramas, esquemas ou outros elementos autônomos e demonstrativos de síntese necessária à
complementação e melhor visualização do texto.
Devem aparecer sempre que possível na própria folha onde está inserido o texto, porém, caso não seja possível, apresentar a ilustração em página própria.

Tabelas
Quanto às tabelas, elas constituem uma forma adequada para apresentar dados numéricos, principalmente quando compreendem valores comparativos.
Consequentemente, devem ser preparadas de maneira que o leitor possa entendê-las sem que seja necessária a recorrência no texto, da mesma forma que o texto deve prescindir das tabelas para sua compreensão.

  • Recomenda-se, pois, seguir, as normas do IBGE – Instituto Brasileiro de
    Geografia e Estatística:

– A tabela possui seu número independente e consecutivo.
– O título da tabela deve ser o mais completo possível dando indicações claras e precisas a respeito do conteúdo
– O título deve figurar acima da tabela, precedido da palavra Tabela e de seu número de ordem no texto, em algarismos arábicos. Exemplo:

Tabela 1. Evolução da Matrícula no Ensino Superior Brasileiro
– Devem ser inseridas mais próximas possível ao texto onde foram mencionadas.
– A indicação da fonte, responsável pelo fornecimento de dados utilizados na construção de uma tabela, deve ser sempre indicada no rodapé (da própria tabela), precedida da palavra Fonte: após o fio de fechamento.
– Notas eventuais e referentes aos dados da tabela devem ser colocadas também no rodapé, após o fio do fechamento.
– Os fios horizontais e verticais devem ser utilizados para separar os títulos das colunas. Os fios verticais no início e no fim da tabela são excluídos.

– Nos cabeçalhos das tabelas, em fios horizontais para fechá-las na parte inferior.
– Nenhum tipo e fio devem ser utilizados para separar as colunas ou as linhas.
– No caso de tabelas grandes e que não caibam em uma só folha, deve-se dar continuidade na folha seguinte; nesse caso, o fio horizontal de fechamento deve ser colocado apenas no final da tabela, ou seja, na folha seguinte. Nesta folha também são repetidos os títulos e o cabeçalho.
– As tabelas devem ser numeradas sequencialmente, com algarismo arábico e apresentadas em folhas separadas, no final do texto, após as referências.
– As unidades, fonte, alinhamento, margens e o corpo de todas as tabelas devem ser padronizadas e citadas no texto corrido.
– Seus elementos essenciais são: título, cabeçalho, corpo (colunas e linhas).
– Os elementos complementares são fontes bibliográficas ou da pesquisa abaixo da tabela.
– No cabeçalho, os nomes das variáveis que representam o conteúdo de cada coluna devem ser grafados por extenso.
– Todas as unidades de medida devem ser apresentadas segundo o Sistema Internacional de Unidades.
– Nenhuma célula (cruzamento de linha com coluna) deve ficar vazia no corpo da tabela.
– Indicação de eventuais testes padrões utilizados abaixo da própria tabela.

  • Figuras e Quadros

São consideradas figuras: gráficos, desenhos, mapas e fotografias usados para ilustrar o artigo. Só devem acompanhar o texto quando forem necessárias à complementação dos fatos descritos.

– As unidades, fonte, alinhamento, margens e o corpo de todas as figuras devem ser padronizados.
– O título da figura, em negrito, deve ser precedido, sequencialmente: da palavra Figura; do número da figura e do ponto, em negrito.
– A legenda deve ser incluída no corpo da figura, no título, ou entre a figura e o título.
– Nos gráficos, as designações das variáveis dos eixos devem ter iniciais maiúsculas, e devem ser seguidas das unidades entre parênteses.
– Figuras não-originais devem conter, abaixo da moldura da figura, a fonte de onde foram extraídas e devem constar nas referências em FONTES.
– O crédito para o autor de fotografias é obrigatório, como também é obrigatório o crédito para o autor de desenhos e gráficos.
– Devem ser gravadas nos programas Word, Excel ou Corel Draw, para possibilitar a edição em possíveis correções.
– No caso de gráfico de barras e colunas, usar escala de cinza (exemplo: 0, 25, 50, 75 e 100%, para cinco variáveis).
– As figuras na forma de fotografias devem ter resolução de, no mínimo, 300 dpi e serem gravadas em arquivos extensão TIF. Neste caso, enviar também o respectivo arquivo separado texto para possíveis adequações.

15. LINGUAGEM DO ARTIGO

Tendo em vista que o artigo se caracteriza por ser um trabalho extremamente sucinto, exige-se que tenha algumas qualidades: linguagem correta e precisa, coerência na argumentação, clareza na exposição das ideias, objetividade, concisão e fidelidade às fontes citadas. Para que essas qualidades se manifestem é necessário, principalmente, que o autor tenha certo (ou muito) conhecimento a respeito do que está escrevendo.
Quanto à linguagem científica importante se faz que sejam analisados os seguintes procedimentos:

  • Impessoalidade: redigir o trabalho no verbo impessoal. Procurar usar os verbos na voz passiva sintética ou pronominal e voz passiva analítica.
  • Objetividade: a linguagem objetiva deve afastar as expressões: “eu penso”, “eu acho”, “parece-me” que dão margem a interpretações simplórias e sem valor científico.
  • Estilo científico: a linguagem científica é informativa, de ordem racional, firmada em dados concretos, onde se podem apresentar argumentos de ordem subjetiva, porém dentro de um ponto de vista científico.
  • Vocabulário técnico: a linguagem científica serve-se do vocabulário comum, utilizado com clareza e precisão, mas cada ramo da ciência possui uma terminologia técnica própria que deve ser observada.
  • A correção gramatical é indispensável, onde se deve procurar relatar a pesquisa com frases curtas, evitando muitas orações subordinadas, intercaladas com parênteses, num único período O uso de parágrafos deve ser dosado na medida necessária para articular o raciocínio: toda vez que se dá um passo a mais no desenvolvimento do raciocínio, muda-se o parágrafo.

A condição primeira e indispensável de uma boa redação científica é a clareza e a precisão das ideias. Saber como expressar adequadamente um pensamento tem-se que ser claro no que se desejar manifestar. O autor, antes de iniciar a redação, precisa ter assimilado o assunto em todas as suas dimensões, no seu todo como em cada uma de suas partes, pois ela é sempre uma etapa posterior ao processo criador de conhecimento.

CONSELHO EDITORIAL DA REVISTA VISÃO ACADÊMICA

Dra. Terezinha J. A. Tartuce (tere@unice.br)
Dra. Mariana Amaral Terra (mterra@unice.br)

Esp. José Flávio Gomes Fernandes (flaviofernandes@unice.br)
Esp. Lucio Vanio Silva Costa (luciocostamusica@hotmail.com)
Esp. Antonio Cláudio Silva Nunes (claudio@unice.br)

Esp. Karine Félix (karine@unice.br)

Fortaleza, 10 de Julho de 2020.

porMarketing Unice

PROTOCOLO DE BIOSSEGURANÇA DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (01/7/20)

O MEC-Ministério da Educação no lançamento do Protocolo de Biossegurança para as escolas traz diretrizes de distanciamento social coletivo em ambientes acadêmicos, além de medidas básicas de prevenção ao novo coronavírus.

O protocolo orienta, dentre outras coisas, o escalonamento das equipes, o trabalho remoto para funcionários do grupo de risco, o respeito ao distanciamento mínimo de 1,5 metro entre uma pessoa e outra e a aferição de temperatura de todos que entrarem nos prédios e nas salas.

O documento também traz orientações já comuns nos tempos atuais, como o uso constante de máscara e higienização das mãos, além de desinfecção com álcool em gel.

“O protocolo não é uma regra engessada, é uma diretriz para as instituições fazerem o retorno às aulas. Tem medidas protetivas individuais e coletivas, [para] salas de aula, laboratórios, transportes coletivos, atividades laborais, entre outros”, disse o secretário de Ensino Superior do MEC, Wagner Vilas Boas, em entrevista coletiva realizada (1º/7/20).

Segundo ele, as orientações são para minimizar os riscos de contaminação e garantir segurança necessária a estudantes, docentes e funcionários.

O protocolo completo pode ser acessado na página especial dedicada ao coronavírus no portal do MEC.
O documento foi elaborado por uma equipe do ministério composta por médicos, biólogos e sanitaristas, seguindo orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Apesar de ser direcionado às instituições federais, o protocolo pode servir de guia também para instituições de ensino municipais e estaduais.

O ministério já se posicionou favorável ao retorno das aulas, desde que consideradas as recomendações do protocolo. “O desafio é o retorno às aulas e o ministério defende esse retorno. Os institutos e as universidades vão ter que conciliar ensino presencial e a distância”, disse o secretário executivo da pasta, Antônio Paulo Vogel.

Fonte: MEC lança protocolo para retorno às aulas em instituições federais. Disponível em: www.msn.com/pt-br/noticias/educacao/mec-lança-protocolo-para-retorno-às-aulas-em-instituições-federais. Acessado em 01/junho/2020.

porMarketing Unice

VOLTA AS AULAS PRESENCIAIS UNICE

Dando continuidade ao ensino de qualidade, a UNICE inicia as aulas presenciais em 03/agosto/2020 (segunda-feira)

O Ensino Híbrido, (Blended Learning), em favor de uma educação mais eficiente e personalizada, tem conquistado cada vez mais espaço na UNICE e na didática de seus professores.

A Instituição assegura que devido à pandemia alguns hábitos serão reforçados quanto ao distanciamento humano como também, higienização pessoal e ambiental, cumprindo as diretrizes da OMS-Organização Mundial de Saúde.

 

porMarketing Unice

PROMOÇÃO ESPECIAL PARA TRANSFERIDOS

A Faculdade UNICE, está com uma promoção maravilhosa para os alunos que quiserem vir cursar a graduação de farmácia.

Transfira seu curso e garanta já uma bolsa para 2020.2

Inscreva-se aqui!

 

porMarketing Unice

SEJA UM ALUNO UNICE

Estamos em via do início de mais um semestre acadêmico com Vestibular Online e a Matrícula para continuidade dos Cursos.

As mudanças enfrentadas nos últimos meses não tem sido tarefa fácil para muitos de nós, quer no trabalho, na escola, na família dentre muitas dificuldades mais.

Diante da situação que se apresenta enfrentamos o seguinte questionamento: Tenho condição de levar à diante os planos que fiz quando tudo caminhava normalmente?

A UNICE lhe responde que SIM.

Os projetos devem ter continuidade, pois estamos ao seu lado com novas rotinas, novas relações, novas metodologias de ensino, novos modelos de profissão, como também estratégias para vencer essa batalha.

Ofertando acompanhamento de orientação profissional e educacional temos a certeza de que tudo se torna possível pelo conhecimento e esse conhecimento é seu.

De um modo geral se o seu sonho inclui a realização da graduação ou pós-graduação, conte conosco. Juntos traçaremos projetos com a expectativa de mudar o mundo.

Esse mundo precisa de você, não adie seu sonho!

Inscreva-se aqui: Garanta sua Vaga!

porMarketing Unice

O PEDAGOGO COMO EXPOENTE NA EDUCAÇÃO

Dra. Terezinha Tartuce

Desde a Antiguidade o pedagogo apresenta relevância na educação e no desenvolvimento da arte de ensinar.   É o profissional que não só acompanha o aprendiz como também orienta os professores de todos os níveis educacionais na construção cultural da formação humana.

Os métodos de transmissão de ensino advêm de uma intenção pedagógica irrepreensível, eliminando os seus pontos frágeis ou suas insuficiências, com a finalidade de centrar a constituição do saber ao sujeito que aprende. Justifica-se o trabalho do pedagogo na busca de novos procedimentos, de forma que o aluno receba informações ordenadas para uma aprendizagem eficiente com habilidades que conduzem à criação de um ambiente onde todos os estudantes se sintam cômodos e seguros de que possam ter sucesso acadêmico e pessoal.

O pedagogo motiva os professores a estarem sempre atualizados quanto às tecnologias, novas metodologias ou técnicas de ensino, garantindo a qualidade educacional do país. Desse modo, entende-se que o pedagogo tem papel de destaque junto às escolas, sendo o seu objetivo principal a melhoria no processo de aprendizagem por intermédio da reflexão, sistematização e produção de conhecimentos.

Hoje, 20 de maio Dia Nacional do Pedagogo, homenageamos o profissional da ciência Pedagogia pela sua importância ao conduzir aqueles que trabalham na Academia com responsabilidade e competência, vislumbrando o preparo dos professores como, também, dos alunos.

PARABÉNS PEDAGOGOS!!!